domingo, 25 de dezembro de 2011

Triste mundo / poema MIL.


Triste mundo... 


 Triste mundo 
Que vive alienado 
Entre riquezas e abastança 
Enquanto miséria e fome 
Definem o futuro da criança 
A desgraça do semelhante 
Terrível supremacia 
Que com o dedo em riste 
Impõe o certo e o errado 
E como donos de tudo 
Instalam medo e agonia 
Jogam criaturas na lama 
Alguém que há muito tempo 
Aqui deixou o seu recado 
Mensagem de 2000 anos 
Deve do outro lado e atônito 
Constatar que nesta esfera  
O amor continua rejeitado 
A solidariedade uma fantasia 
Que se presta ao carnaval 
De oportunidades! 


 Maria Iraci Leal_MIL 
25/12/2011 
POA/RS/Brasil

A chave do sonho / poema MIL.


A CHAVE DO SONHO


Galáxia de imenso azul celeste 
Onde a infinitude é real 
O sonho se realiza e é perene 
Desde que se encontre a chave 
Mas vezes a caminhada se reveste 
De aflição e, no peito da mulher 
Que suspira por uma quimera 
Flui o pranto e o desencanto  
Na busca de felicidade 
E assim caminhamos passo a passo 
Por atalhos da vida e descompassos  
Em que vezes a esperança se fere 
Descalços sangram os nossos pés 
Um dia alguém chorou 
O peito doeu, explodiu a lágrima 
O sonho se desvaneceu 
Mas não é o fim da estrada 
Há caminhos á percorrer 
Buscar o imenso azul celeste 
A eternidade que se esconde 
Dentro de si próprio  
Basta encontrar a chave 
Reconhecida 
A diferença que existe 
Entre o amor e a ilusão 
Utopia e realidade! 


Maria Iraci Leal_MIL 
25/12/2011 
POA/RS/Brasil

BUTECO POÉTICO: Dias há / poema MIL

BUTECO POÉTICO: Dias há / poema MIL: Dias há... Dias há em que o sol Desponta muito dourado Misterioso e safado Dá vontade sair da cama Sair pulando e cantando ...

sábado, 24 de dezembro de 2011

FELIZ 2012.


Entre tu y yo { Luis Fonsi}


Entre tu y yo 
Luis Fonsi 


Entre tu y yo hay algo mas que la ilusión de un paraíso azul. 
Beso con beso, fuego con fuego a mis deseos los enciendes tú. 
Niña y mujer lluvia de sol, solo por ti cambie mi soledad. 
Mis pensamientos vuelan contigo te has convertido en mi necesidad.  
Solo tú nadie más tiene la llave de mi corazón. 
Nunca te vayas nunca me dejes todos mis sueños bailan con tu amor.  
Vivirás siempre en mí desde la tarde cuando te encontre. 
Cada minuto mientras existas por siempre te amaré.  
Cada lugar cada canción hasta el silencio solo habla de ti. 
Sobre mi almohada digo tu nombre como un tatuaje estas grabada en mi. 
Solo tú nadie más tiene la llave de mi corazón. 
Nunca te vaya nunca me dejes todos mis sueños bailan con tu amor.  
Vivirás siempre en mi desde la tarde cuando te encontre. 
Cada minuto mientras existas por siempre te amaré. 
Donde quiera que vaya tu recuerdo va conmigo. 
Cada instante que pasa necesito mas de ti. 
Solo tú nadie más tiene la llave de mi corazón. 
Nunca te vayas nunca me dejes todos mis sueños bailan con tu amor.  
Vivirás siempre en mi desde la tarde cuando te encontre. 
Cada minuto mientras existas por siempre te amaré.
Luis Fonsi (Nombre artístico de Luis Alfonso Rodríguez; San Juan de Puerto Rico, 1978). Cantante y compositor puertorriqueño. Las baladas más románticas y los ritmos de rythm & blues han convertido al cantante Luis Fonsi en un verdadero ídolo para millones de latinos que se emocionan al escuchar su interpretación de cada uno de los temas de sus discos.

Coração cigano/poema MIL


CORAÇÃO CIGANO

 Cuidado, muito cuidado 
Não pisoteies o meu coração 
Não mates a ternura depositada 
Não maltrates a minha emoção 
Meu sentimento é cigano 
Não suportaria a traição 
Por Deus e por Santa Sara 
Não me coloques na tua prisão 
Se andarmos de mãos dadas 
Não interpretes os meus atos 
Segundo a tua cultura 
Conforme tuas convicções 
Nem exijas de mim 
Aquilo que não farias 
Não me exijas a perfeição 
Eu sou como um clarim 
De som agudo e penetrante 
Que anuncia a alvorada 
A liberdade de andar ao vento 
Entre os lírios e jasmins 
Lembras que venho de outro chão 
Onde a vida não está nos livros 
E sim na empatia e no abrigo 
Que une uma nação 
Se somos diferentes 
E a vida nos coloca frente a frente 
Temos que andar sem correntes 
Cada um sendo o que é 
Se querendo como irmãos!

Maria Iraci Leal_MIL 
08/12/2011 POA/RS/Brasil 
Música/Entre Tú Y Yo,hay Algo Más Que La Ilusión ...

Lua dos amores /Universo de fulgores/poema MIL

Lua dos amores  
Universo dos fulgores 

Oh alma que da Terra foge 
Enlevada por supremos acordes 
 Das divinas ondas musicais 
Buscando no espaço seus ardores 
Por entre caminhos universais 
Flutuando na Lua dos amores 
Embevecida do universo sem ais 
Oh alma que da Terra foge 
Destemida e livre, de todo nua 
Migrando como a ave grua 
Saltitante entre os planetas 
Por entre as noites lunares 
Viajeira das estrelas e cometas 
Buscadora dos raios do luar 
Para o seu grou presentear 
Na hora de amar, de acasalar 
Oh alma que da Terra foge 
Embalada nos supremos acordes 
Vestindo asas de grua, pelos céus viaja 
No infinito, na lua, em todos os fulgores
No universo dos puros amores!

 Maria Iraci Leal_MIL 
POA/RS/Brasil 
04/07/2011

Pássaro-mãe/poema MIL


Pássaro-mãe



Conduz-me a força

De uma luz brilhante
Em vôo, eu pássaro inocente
Planando nas alturas
Ruge abaixo o mar bravio
Gaviões com bicos de espada
Buscam as presas desprotegidas
No ar e no mar sem piedade
Eu pássaro- mãe busco alimento
Gritam afoitos e aflitos os filhotes
Por luz brilhante conduzida
Atravesso o espaço sem perigo
No ninho pouso, sã e salva
Mais um dia de vida
Alimento e abrigo!




Maria Iraci leal_MIL

22/12/2011
POA/RS/Brasil


Piano Music - Soothing And Relaxing (original...

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

ROGAMOS...



Rogamos...

Sair ás ruas sem temor
Olhar os parques da vida
A doçura e o encanto da flor
Toda guerra se termine
Se desfaçam as divergências
Iluminem-se corações e mentes
Rogamos...
Uma vida de qualidade
Abraços e apertos de mãos
Aos homens de todas as idades
Entoem uma canção
De amor, entendimento, união
Rogamos pela vida do cipreste
E das perfumadas flores, o afã
Pelo sol que no horizonte nasce
Dourado ainda em cada manhã!
Rogamos...
Que a PAZ mensageira floresça
Em cada coração e em cada nação!

Maria Iraci Leal_MIL_10/06/10
Obra ampliada 22/09/11



sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Quando foi? Poema MIL.



Quando foi?

Quando foi que o riso se fez lágrima
Morreram as árvores e calou-se a voz
Perdeu-se a referência e sangraram as águas
O pranto como torrente e na tempestade
Feriu e castigou, afogou toda face
Deixando a estrada vazia e desencantada
A calçada de pedra, apenas, simplesmente
O homem na sua caminhada, tão e tão só
Sem abraço, sem natureza, apenas o nada
Para onde foram as árvores e as águas claras
Os olhos que se olham, sorrisos que se beijam
Os braços que se tocam e as conversas
Amor, natureza e sensibilidade
Onde está tudo que dá sentido
História, vida, planeta e continuidade
Amor, amor, amor e paz
Quando foi que nos perdemos?
Onde estamos nós?

Maria Iraci Leal_MIL
POA/RS/Brasil
29/09/10

Ecos do infinito/poema MIL

ECOS DO INFINITO

Insana eu seria se não tivesse consciência
Da vida, da natureza e do meu semelhante
Porém eu creio nem sempre ter sido assim
Ecos do infinito invadem a mente, são parlantes
Declaram-se e as transgressões sem fim
Que penalizam viver neste inferno sofrido
No tempo deste tempo em que tudo tem fim
Nada dura e, tudo é rapidamente consumido
É extremamente difícil viver entre dois mundos
O que é real e palpável, perigoso e mortal, finito
E o imaterial que se denuncia abrindo cortinas
No silêncio que habita, entra sem pedir licença
Mas radiantes e amigos que mesmo na distância
Visitam e habitam o silêncio... Ecos do infinito
Se sente de alguma forma que é real
Imagens esfumaçadas, outras bem claras, em HD
Cenas de vidas passadas trazendo os amores antigos
E o sentimento de reclusão, de prisão neste orbe insano
Em que muitas vezes falta-nos o alento, fé e coragem
E desejo de fugir deste castigo sentenciado
Evaporar-se desta terra de ninguém, do mal
O jardim galáctico do egoísmo, do sadismo e agonias
Do horizonte emanam preces para que não se desista!
Vivam no corpo humano, sendo firmes no ideal
Vivam as experiências boas ou más, todos os sonhos
Finda a sentença, haverá de elevar-se a consciência
Haverá de florescer no amor total e incondicional
Missão cumprida... Está na hora de voltar pra casa!

Maria Iraci Leal_MIL
25/09/11/POA/RS/Brasil